Pároco da Catedral Cristo Rei, Padre Orisvaldo José Calandro levou a réplica oficial da imagem da Santa Padroeira do Brasil à Prefeitura de Cornélio Procópio

Cornélio Procópio - A réplica da imagem original de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil foi apresentada aos funcionários da Prefeitura do município de Cornélio Procópio no início desta semana. O prefeito Amin Hannouche e a vice-prefeita Angélica Olchaneski de Mello receberam a imagem conduzida pelo Pároco da Catedral Cristo Rei, Padre Orisvaldo José Calandro na sala de reuniões do gabinete oficial. Na oportunidade, o vigário contou a história da aparição da imagem a pescadores no rio Paraíba do Sul, no estado de São Paulo, em 1717. Considerada um dos principais símbolos da religião católica no Brasil, a Santa é reconhecida como milagrosa por milhares de pessoas que visitam a sua Basílica em Aparecida (SP) todos os anos. O prefeito Amin agradeceu a visita do padre com Imagem de Nossa Senhora Aparecida e acompanhou as orações que foram dedicadas à Santa. Nesta sexta-feira, dia 12 é feriado nacional em homenagem à padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida.

História da Aparição de Nossa Senhora

Há mais de 300 anos, alguém lançou uma imagem em terracota de Nossa Senhora da Conceição, no Rio Paraíba do Sul, na antiga Vila de Guaratinguetá. Ao tomar essa atitude, a pessoa não imaginava que lançava a pedra fundamental da fé em Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil. Os motivos daquele ato nunca vieram à tona, mas a história de como a imagem foi encontrada e dos milagres que se sucederam é contada há três séculos. Em algum dia de outubro de 1717, o então governador de São Paulo, dom Pedro de Almeida, o poderoso conde de Assumar, viajava a Vila Rica (atual Ouro Preto), onde assumiria o cargo de governador da Capitania das Minas Gerais. Ele seguia pela estrada do Vale do Paraíba e parou para pernoitar na Vila de Guaratinguetá. A fim de ajudar com um banquete que seria oferecido ao conde, três pescadores, João Alves, Domingos Garcia e Felipe Pedroso, saíram com a missão de trazer um grande número de peixes. Ao lançarem a rede ao Rio Paraíba, ela voltou vazia. Foram várias tentativas assim, até que João Alves puxou um pequeno objeto, junto com alguns peixes. Era o corpo de uma santa, sem a cabeça. Os pescadores concordaram que se tratava de Nossa Senhora da Conceição. Navegaram mais um pouco e, ao lançarem novamente a rede, puxaram outro pequeno objeto, com mais peixes. Era a cabeça da santa, que se encaixou perfeitamente ao corpo. Com a escultura depositada no barco, os pescadores lançaram a rede mais uma vez e ela voltou repleta de peixes. Assim, os três testemunharam o primeiro milagre atribuído à imagem pescada das águas. (Comunicação/Prefeitura)

IMG_7068-compressed.jpgIMG_7058-compressed.jpgIMG_7057-compressed.jpgIMG_7055-compressed.jpgIMG_7051-compressed.jpgIMG_7042-compressed.jpgIMG_7017-compressed.jpg